O poder da Autovalorização

imagem autovalorização

Em nossos processos de coaching, onde o acompanhamento dura 60 dias, eu diria que um dos principais aspectos trabalhados, é a autovalorização. A grande maioria dos nossos coachees chega até nós com essa deficiência em se autovalorizar, deficiência essa que é causada na maioria das vezes pelo desejo de aprovação e/ou apoio do outro.

Costumo dizer que esse desejo de aprovação é totalmente disfuncional para a vida de um sujeito, seja para seus relacionamentos afetivos ou para a busca dos objetivos. No caso dos relacionamentos há o grande perigo de se causar uma dependência do outro, já que o individuo passa a agir somente após a aprovação do mesmo. E esse movimento de dependência não é nenhum pouco saudável, ou melhor, dependência nenhuma é saudável!

Já em relação a trajetória rumo aos objetivos, o principal perigo se encontra nas expectativas que coloca-se sobre o que o outro está pensando, ou que o outro está achando, ou o que ele pode vir a dizer. Quando essas expectativas com relação às atitudes dos outros são geradas… Buuum! Você tem um grande problema!

É importante que você saiba que quando essas expectativas são colocadas na fala do outro, automaticamente você está gerando frustrações. Por quê? Muito simples: você simplesmente está desejando que uma pessoa, totalmente por fora do que está se passando com você, te valorize, te reconheça e principalmente, te apoie. Mas lembre-se: isso é um desejo seu! É uma expectativa sua! Não é uma realidade absoluta. O outro pode simplesmente não te valorizar, não te reconhecer e muito menos te apoiar. E repare bem que a situação é toda criada por você, a culpa não é do outro que não te dá o apoio, é sua por esperar isso dele. A sua esperança não é garantia! Não se cria expectativa sobre outras pessoas, muito menos sobre as opiniões delas.

E como resolver isso? Aprendendo a se auto-valorizar sem esperar isso de outras pessoas. Aprendendo isso, você consequentemente está se respeitando também. Pois estará evitando frustrações e por consequência você ainda evita desânimo, preguiça, culpa, procrastinação e uma série de outros aspectos que possam vir a atrapalhar o seu desempenho de #AçoPuro.

Em nossos acompanhamentos nós procuramos trabalhar a autovalorização através do alinhamento das três partes internas, as já conhecidas: SONHADORA, REALIZADORA e CRITICA. Essas suas três partes formam o pilar que te sustenta ao longo dessa caminhada. Onde a sonhadora é responsável pelo desejo e pela fé inabalável, a realizadora tem a função de executar todos os planos para que os sonhos se tornem realidade e a crítica tem o papel de apoiar ambas, protegendo e fortalecendo a sonhadora e apoiando e acompanhando a realizadora. Sendo, neste caso, as atitudes da crítica junto a realizadora o nosso principal foco. Por que somente as atitudes da crítica junto a realizadora? Pois a crítica é responsável pelo reconhecimento, pelo apoio, pelo incentivo e por impulsionar a realizadora a ser cada dia melhor, ou seja, ela origina a autovalorização.

Praticamente todos os coachees chegam com a parte crítica muito rígida, “tirana” e mandona, praticamente dona de uma verdade absoluta e imutável de que nada vai dar certo! Fazendo um papel que eu gosto de chamar de CRÍTICA CHEFE. Aqui vão algumas das características desse tipo de crítica:

– Manda;

– Ameaça;

– Autoritária;

– Atrapalha;

– Culpa pelos erros;

– Desmoraliza.

Depois dessas características eu peço que você repare no quanto a críitica desvaloriza a realizadora. Não é nem difícil saber identificar o porquê de tanto desanimo e desmotivação nessa caminhada, fica tudo muito nítido! Você acaba por ser desrespeitar o tempo todo, nunca acha que o que está fazendo está bom, gerando o famoso “vitimismo”, e sempre repetindo a famosa frase: “eu não sou merecedor de nada mesmo, tudo o que eu faço nunca dá resultado!” Claro! Com uma crítica chefe, nem se você conquistar todo o continente Americano será digno do reconhecimento dela.

Agora, para que você sinta o impacto da diferença, vou descrever algumas das características de uma crítica que eu gosto de chamar de CRÍTICA LÍDER:

– Incentiva;

– Companheira;

– Ajuda;

– Assume a responsabilidade sobre os erros e aprende com eles;

– Acompanha;

– Confia;

Um crítica líder possui atitudes totalmente opostas a da chefe, atitudes essas que impulsionam de fato a realizadora a se superar a cada dia, pois agora ela não vai mais se sentir sozinha nessa caminhada. Ela tem uma parceira com quem ela pode contar e que estará sempre ao lado dela, que finalmente a reconhece, e o melhor, sem depender de ninguém para que isso ocorra!

E depois de você ter conhecido esses dois modelos de crítica, eu te pergunto, afinal o que a SUA crítica realmente quer!? Que você seja perfeito ou que você se supere a cada dia tendo como consequência a realização dos seus sonhos?

Reflita sobre a sua reposta e se precisar de ajuda para transformar a sua crítica em uma verdadeira líder, conte conosco! Além de trabalharmos esse condicionamento da crítica em todos os pacotes de Coaching, os nossos cursos Personal Training da disciplina, ansiedade e zen também fazem esse trabalho.

 

#FazerDarCertoAtéDarCerto

#IssoVaiMudarASuaVida

Coach Laiz Moreno.

Comentários

  1. Ana Paula Souza disse:

    Parabéns pelo artigo!

    1. sougenius disse:

      Valeu de coração, Ana!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *